A projeção UTM (Universal Transverse Mercator) é muito utilizada para todos os tipos de cartografia.

Ela nem sempre se aplica a todos os casos e deveria ser menos utilizada em algumas aplicações, mas com toda certeza é bastante comum no Brasil e no mundo.

Uma das características marcantes desta projeção, é que ela não é uma projeção única. São 60 zonas com parâmetros diferentes, para cada local do planeta, dividido a cada 6 graus de longitude.

Vou ensinar algumas mágicas utilizando princípios simples para se descobrir maiores informações, necessárias quando estamos trabalhando com essas zonas.

Zona UTM > Meridiano Central

O meridiano central de uma zona UTM é o local que possui a menor distorção da projeção.

Podemos calculá-lo, seguindo a fórmula:

MC = (6 * Z) - 183  

Veja o exemplo:

MC = (22 * 6) - 183  
MC = 132 - 183  
MC = -51  

Um outro exemplo, com a zona 30:

MC = (30 * 6) - 183  
MC = 180 - 183  
MC = -3  

Para encontrar os limites de uma zona UTM, adicione 3 graus para o limite oeste e subtraia 3 graus para o limite leste.

MC = -51  
Limite Leste = -51 - 3  
Limite Leste = -54  
Limite Oeste = -51 + 3  
Limite Oeste = -48  

Longitude > Meridiano Central

Este cálculo é importante: baseado no valor X (ou longitude), você consegue descobrir qual é o meridiano central da zona daquela coordenada.

# nota a divisão de longitude por 6 deve considerar apenas valores inteiros
MC = (6 * int(longitude/6)) + 3  
MC = (6 * (-48/6)) + 3  
MC = (6 * -8) + 3  
MC = -45  

Meridiano Central > Zona UTM

Com este cálculo, você informa o meridiano central e descobre qual zona UTM ele está inserido.

UTMZ = 30 - absoluto(int(MC/6))  
UTMZ = 30 - absoluto(int(-45/6))  
UTMZ = 30 - absoluto(int(-7.5))  
UTMZ = 23  

São três continhas fáceis de serem realizadas, que ajudam muito na hora de trabalhar com UTM.